31 de agosto de 2010

Poema inacabado

que se mistura ao que amo,
sem ser medido, contado,
pela vida, mais além e em mim,
o amor num poema sem fim...

30 de agosto de 2010

Hoje deitar cedo

que estou ansiosa por sonhar!

28 de agosto de 2010

Honestidade e Integridade

Que o teu sim seja sim.
Que o teu não seja não.
Tudo o resto vem do maligno.
Jesus Cristo in 
Evangelho segundo São Mateus, 5-37

Sentir a tua falta

é tão melhor do que não te ter em mim!

A sala

já está EXPIRADA!

27 de agosto de 2010

Boas conversas!

ouço e vejo o que dizes
falo e vês o que digo
além das palavras

Hum....

e não quer um remédio para se sentir com menos peso em cima?
Não!... Quero ir ao fundo!

Já não era sem tempo... e levaria o tempo que tivesse de levar! Foi assim que consegui descobrir (numa tarefa inicialmente dificil e depois incrivelmente entusiasmante) o que a vida tem de bom... tudo! :-)

26 de agosto de 2010

Entristece-me

quem não se respeita, 
quem prefere não entender e acusar, 
quem se deixa inundar de desdém,
quem interpreta sem tentar relativizar, 
quem não é responsável, 
quem esquece os que ama, 
quem nega os problemas, 
quem se enfia num buraco,
quem se quer matar, 
quem só espera e não consegue esperar.

Sofrer por antecipação

pode ser sofrer duas vezes, 
mas também pode ser uma vez só e estupidamente.

Vivam as feridas...

já que a única forma de nos magoarmos é acreditando.

É incrivel

como às desculpas de foste
não se acrescente e eu não te estendi a mão!

25 de agosto de 2010

Vou lançar

um RÉPTIL a todos!

Matar o tempo

é um crime! 
Mas às vezes é preciso deixar a poeira pousar...

24 de agosto de 2010

Pode-me dizer o caminho?

Sim, é fácil, vai em frente, CONTROLA a rotunda e sai na terceira à direita...

Open to everything happy and sad...

video
... focus on anything better today...

23 de agosto de 2010

Um sorriso

só consegue ser credível se vier do interior! 
Assim como um olhar, um gesto, ...

Cabo da Boa Esperança

Vivemos juntos a tempestade
Num tango emprestado aos deuses, desnudado
Nos olhos um intenso luar
Nas palavras que não dizemos a paz
No teu abraço o meu corpo cansado, em curvas
Nas minhas mãos passos perdidos de uma dança
Na nossa respiração a brisa da bonança
No teu peito a minha estrela polar
No meu suspiro promessas de mar

Entre ontem e amanhã

vivo, algo encurralada, o presente!

Canta e dança,

em ti está a música! É só saberes ouvir...

21 de agosto de 2010

Antes de apagar tudo

coloquei os dados na outra REPARTIÇÃO!
(confesso que esta foi minha eheh)

Mas alguma vez estiveste apaixonada por mim?

- Não!...

Silêncio, desilusão. Convinha explicar a dimensão do não... queria que soubesse o quanto mais importante era:

- Não posso dizer que fosse paixão, foi logo amor.. assim....

E, os olhos transparentes, apanha-o com o braço, como quem mostra o que por palavras fica sempre pobre. Porque o que sentiu desde o início era mais sério, menos volátil, no seu âmago com uma serenidade e uma certeza indescritiveis.  Apesar do seu coração palpitar quando chegava a hora de se encontrarem, apesar das borboletas no estomago, apesar do magnetismo, apesar do seu sorriso silencioso e estampado na cara. Nunca sentiu o medo do fim de prazo e da ilusão de uma paixão e nem sentiu a descolagem de uma forma perigosa, a vertigem da possível queda. E nunca o tinha dito, nem sequer sentido, a ninguém porque com ninguém fora assim.

Dispensa os pensamentos,

fala-me em sensações por simbiose.

19 de agosto de 2010

Para ti e depois para mim

Descobres novos horizontes entre as brumas que suavemente afastas com as tuas mãos. O sopro da alma entoando uma canção... Os caminhos estão cheios de alamedas. O céu cheio de nuvens e a brisa cheia de ventos que as empurra.
Não se pode viver sem perder e, mais ainda, sem aceitar as perdas. O teu coração cheio de penas...
Oh!... tenta uma ignorância sapiente e usa-as para voar!

Hoje pensei

repetidamente interjeições de espanto e impaciência!
  ugh      caramba      céus        puxa      bolas

Podes chegar

onde só chega quem não tem medo de naufragar...
in Cada lugar teu, Mafalda Veiga

17 de agosto de 2010

Não há

grito de dor que no futuro não tenha finalmente, por eco, uma alegria.

Ramón de Campoamor, cit. in Lie to me

16 de agosto de 2010

To all

your wishes,
your hopes,
your dreams
there will be an answer...
just let it be!

15 de agosto de 2010

A verdade

pode ser muito difícil, mas é sempre uma dádiva!

Confesso

Estava disposta para todas as lutas e não pude aceitar a rendição! É que não são tréguas, é correr em direcção à aniquilação. Não te posso obrigar a nada. E também não posso assistir, nem ser cúmplice. Não posso, porque te amo, e quero que saibas que, mesmo se infelizmente chegares a esse momento, eu tenho sempre um abraço para te dar.

Coitado,

ele é o BODE RESPIRATÓRIO!

14 de agosto de 2010

Tarde estival

Flutuas nas ondas do rio. De peito e sorriso feitos saboreas a tarde sob o doce cantar da àgua no casco. O murmúrio do motor, o sol na pele, nos lábios o sabor a Verão...
No coração um espaço fresco guardado para uma paixão.

Pimba, outro!

Obrigada pelo selo amigo SP, a inspiração é reciproca!
Neste trata-se de completar a frase:

Sou feliz porque.... quero!

E passar a cinco pessoas. Oh, mas eu passo a todos os meus destinos de viagem. :-)

Helá, mais dois selos!

Graças à Paula sinto-me um envelope com destino longínquo! :-D

O primeiro pressupõe dizer quem o ofereceu, enumerar 3 coisas que se reparam de imediato no sexo oposto e outras 3 que não suportam e passar o selo. Reparo nas mãos, na desenvoltura e no olhar. Não suporto (independentemente do sexo)  futilidade, falta de humor e espinha dorsal.

O segundo pressupõe responder a:
Quem é que nunca vais conseguir esquecer? A minha avó, as minhas filhas
Alguém comanda a navegação da tua vida? Eu e as estrelas
Oferecer o selo a 3 blogues ou mais e comentar o blogue da criadora do selo.

Passo-o a todos os que me visitam, voilá! 

11 de agosto de 2010

Um dia vou-te encontrar


num perfume de uma frésia
num rebordo de uma onda
num amanhecer renovado
na contra-capa do meu livro
na baínha de uma espada
na mesma escarpa da falésia 

vou-te encontrar 

sem saber que já te tinha
sem dizer que já sabia
sem ouvir um "tem cuidado"
nem estranhar-te ao meu lado
nem duvidar da utopia
nem tu sozinho nem eu sozinha

There will be a day

with time on my hands... and in you in my arms.

Por muito lentamente

que nos pareça que passam as horas,
parecer-nos-ão curtas se reflectirmos que não voltam a passar.
Aldous Huxley

9 de agosto de 2010

Cuidar

Tira-me a necessidade de esperança,
como quem me despe devagar.
Suspira-me a alma sem pensar,
como quem faz uma aliança.
Toca-me e passeia em mim
como quem, sem horas, não tem caminho.
Lava-me a face, destapa-me o sorriso
como se a àgua fosse a liberdade.
Veste-me de brilho e de sentimento
como quem sabe coser a paz.
Sento-me ao teu lado, a mão pousada,
como quem sabe o que é amar.

3 de agosto de 2010

Não aguentei

e saiu-me uma missiva... sinto-me mais leve!

A minha irmã,

já de NATURALIDADE, retém muitos líquidos.
(ipsis verbis)

2 de agosto de 2010

Sonhei

e em ti foi-se iluminando a vontade de me encontrares. Não sei quem és, mas o teu caminho vai-se iluminar e conduzir-me até ti... quando o tempo, sem barulho, tiver virado a página.

Põe aí a tocar!

Sabe a Verão... do século passado! :-)

Quando a vida

te trouxer mil razões para chorar, 
mostra que tens mil e uma razões para sorrir.
Reflexões, Facundo Cabral